Capa » Podcast » NossoCast » NossoCast 137 – Memes!

NossoCast 137 – Memes!

NossoCast 137 – Memes!

E aii!!!

Hoje Armando Galleni, Arnon Rodrigo, Jadson Moura, Foguinho & Renato Pinto falam sobre memes e a petulância do CAVALO!

Percebe Ivair a ouvência desse NossoCast???

Nesse NossoCast aprenda :

  • Quem é o pão com bataaaaaaaata?
  • Corre BERG!
  • A Petulância do Cavalo – A Origem!

Ajude a gente no padrim!

Clique aqui  para acessar o padrim!

Qual tema você quer ouvir no NossoCast? Opine AQUI

Músicas tocadas no Cast :

  • Leandro Lehart – Vem dançar o Mestiço
  • Molejo – Dança da Vassoura
  • Rick Astley – Never Gonna Give you up
  • Furacão 2000 – Malha Funk
  • Figueroas – Melô do Jonas
  • Cauê Moura & Castro Brothers – Festa dos Memes
  • Weezer – Island and the sun
  • Odair Cabeça de Poeta & Grupo Capote – A Feira
  • One Direction – What Makes you beautiful
  • Percebe ivair a petulância do cavalo funk
  • Cauê Moura – Rap dos memes
  • Funk Triste –> Música de Encerramento

Sua OPINIÃO AQUI VALE ALGUMA COISA!

Dê seu Feedback para gente!
nossocast@gmail.com ou na Aba ‘ Contato

Twitter: @NossoCast

Instagram : www.instagram.com/NossoCast

Facebook:  https://www.facebook.com/NossoCast
Google Plus: Aqui
NossoPlay: http://www.youtube.com/user/nossoplay
Feed: feed.nossocast.com.br
Itunes: Nos avalie aqui
Grupo do NossoCast na Steam: Venha Jogar com a gente!
Grupo NossoCast da ‘Zuera’ no Facebook: Participe Clicando Aqui!

Desenho da Vitrine Por Willian4Namiki

Ilustração da Vitrine Por Clayton Trindade

 

Sobre Armando Galleni

Engenheiro químico, host, editor e idiota as vezes. Não necessariamente nessa ordem
  • O meme mais antigo da internet:

    FIRST!

    • O segundo meme mais antigo da internet:

      Pau no c* do first!

      • Armando Galleni

        ESQUISOFRENISAS

        • Percebe Ivair a loucura do cavalo

        • E se reclamarem que eu comento demais, eu comento de novo! hahahaha

  • Assim como o Não Salvo é um berçário de memes brasileiros, vou recomendar aqui o canal equivalente na gringa:

    h3h3 productions

    Tudo que Ethan e Hila tiram sarro vira meme instantaneamente, logo vira uma praga em tudo quanto é canto do reddit, e finalmente chega no FB dos gringos.

    #FikDik

  • Uma vez meu pai me perguntou o que era um meme. Eu respondi: é uma piada interna de um grupo, só que o grupo é a internet.

    • Leonardo Alves

      Ele está melhor do que um antigo chefe meu que achava que o meme era uma pessoa que postava demais no facebook.

      • HAHAHAAHAHA esse é só o sem noção mesmo haha

        • Leonardo Alves

          É um senhor, sabe quando seu avô decide usar o facebook? Nesse nível hahaha

          • Hahaha sei bem seu problema, o pior é ter que explicar meme

            Quando uso memes gringos, nenhum brasileiro entende. Quando uso memes brasileiros, nenhum americano entende. É realmente como se um grupo imenso de pessoas compartilha-se uma piada interna, e grupos com comunicação muito distantes acabam ficando isolados – como quando falaram de um meme regional nesse Nossocast e apenas 1 participante o conhecia, e ainda ficou surpreso pelos outros desconhecerem o mesmo.

            Tentei explicar o meme do cavalo pros meus amigos americanos e não rolou. O americano já tem mania de falar de forma mais polida e estruturada, então pra ele “petulance” não é novidade. A imagem do cavalo pra alguém grosso é bem brasileira, não tem o mesmo apelo cultural nos gringos. O meme já perde um pouco do impacto só por ter que explicar o contexto; quando explico o meme inteiro, acabo matando ele.

            Então, levanto a pergunta: será que parte da graça do meme vem do acompanhamento do nascimento e viralização do mesmo?

            Notei também que os memes americanos tem mais relação com expressões exageradas, falas bruscas, reações exaltadas, e maneirismos únicos. Os memes brasileiros tem mais relação com o inesperado. Por exemplo, ninguém esperava que a garotinha tomando um surra levantaria como se nada tivesse acontecido pra posar e perguntar pra Jéssica se já acabou. Todavia, ambos giram em torno do absurdo.

          • Leonardo Alves

            Seria o meme uma espécie de egrégora? Sua compreensão precisa da coletividade de determinado grupo de determinado meio, talvez por isso um americano não entenda um meme brasileiro, já que não está inserido no contexto em que houve a concepção do meme, por exemplo o meme do cavalo.

          • Não vejo motivos pra partir pro âmbito espiritual. O fato de uma mensagem ser entendida, aceita, dada importância e então replicada por muitos não implica em “energias coletivas”. Mas com certeza o meme depende do contexto cultural a qual ela está inserido. Por exemplo, mesmo se a pessoa fosse brasileira, se ela não tivesse crescido sabendo que tem Faustão todo domingo, e que o Faustão puxa o “r”, ela não entenderia o meme do “errrrrrrrrrou”.

            Acho também que tem um pouco da euforia de querer compartilhar tudo. As pessoas querem compartilhar quase tudo que acontecem na vida delas, partindo de meros interesses coletivos até o que ela comeu no almoço. O meme talves seja uma consequência dessa nossa mania de compartilhar, uma forma moderna de piada interna em um mundo hyper-comunicativo.

          • Armando Galleni

            TÁ MUITO PROFUNDO ISSO AQUI

          • SUA CAIXA ALTA TÁ TRAVADA, CARA.

            Né!? Como ouso eu tentar algo menos superficial na internet? Perdoe-me, focar-me-ei em comentários de 140 caracteres.

            (é zueira em ;D)

          • Leonardo Alves

            Olha a frase solta que pode ser usada fora de contexto hahahaha

          • Leonardo Alves

            Mencionei a egrégora mais como uma coletividade de idéias e não de energias espirituais. Então o meme fica como uma consequência de euforia, carência e o excesso de compartilhamento de informações?

          • Talvez nós dois exageramos um pouco no tom das palavras. Eu não diria euforia, mas uma uma consequência do amplo impacto do compartilhamento. Antes, as piadas internas eram limitados aos grupos de amigos; hoje, a informação circula entre um grupo grande de pessoas que não necessariamente se conhecem. É como se a tecnologia tivesse esticado a capacidade de compartilhar algo que a pessoa tem interesse o entusiasmo. Carência todos temos, necessidade psicológica não é exclusividade – vide pirâmide de Maslow. A diferença é que a audiência não é mais os amigos a sua volta, mas todo mundo que tiver acesso online a sua informação. Também há uma euforia para achar ou emplacar um meme novo, como se os usuários de internet fossem página atrás de páginas, tweet atrás de tweet, esperando um novo “amusement”. A palavra excesso implica que há um limite e, depois deste, o compartilhamento causa algum tipo de dano. Não sei bem se este é o caso. Se a pessoa pode sassiar suas carências de formas que não podia antes, não vejo algo ruim nisso. É mais uma nova realidade em que vivemos e estamos nos dando conta. Vários YouTubers na gringa perceberam que o segredo da fama na internet está em criar e compartilhar uma cultura própria, com seus próprios memes, próprias piadas, etc. O que eu deixei de exemplo, h3h3 productions, é especialista nisso.

          • Leonardo Alves

            Estamos de parabéns Bahamut, talvez exageramos no tom das palavras, mas conseguimos ter uma discussão sobre memes que não é fundamentada na ciência brasileira do HueHue, sem nos ofendermos e ajudamos a quebrar o recorde de comentários hahaha. Acredito que o cometário do Armando dizendo “TÁ MUITO PROFUNDO ISSO AQUI” merece ser um meme, com montagens e compartilhamentos no grupo do facebook.

          • HAHAHAHAHAH GENIAL!

          • Leonardo Alves

            EXCELENTE!!!
            Estou apenas aplaudindo.

          • Zueira a parte, se tu espiar meus comentários em outros sites, é o que eu sempre tento fazer. Claro, rola muita zueira também, mas as vezes saem muitas conversas legais. Especialmente no MF.

          • Leonardo Alves

            Para o MF sou o ouvinte filho da puta, não comento nem mando email e nem divulgo, mas vou prestar mais atenção na sessão de comentários de lá.

          • Hahahaha ná cara, comentar, divulgar e mandar email não é obrigação. A gente agradece quem faz, mas não sem pressão nenhuma cara. Faz quando for natural. O MF é diferente por que a galera faz muito encontro em São Paulo e já se conhece pessoalmente. Além de ser sempre as mesmas pessoas comentando. Mas não tem panelinha, a galera sempre da boas vindas pra ouvinte novo. É bem legal.

          • Leonardo Alves

            O pessoal do nossocast poderia fazer um cross over com o MF, eu pagaria um dólar por isso.

          • Espere e verá! Ó AÍ Ó, ARMANDO! OLHA AÍ! XD

          • Leonardo Alves

            36 comentários e acho que 30 são só os nossos, qual era o recorde deles? Acho que mais de 30 comentários só de duas pessoas e uma montagem é um novo recorde hahahahaha

          • Se tivesse a galera do MF aqui, nossa o Urubatan comenta mais que eu, com o Inuyashagui e a Agatha, passaria de 100 fácil fácil. Aguarde o próximo Nossocast, eu trago a galera XD

          • Leonardo Alves

            Tenho certeza que o Armando e o Renato vão ficar muito felizes quando lerem isso hahahaha

          • Armando Galleni

            a gente vai fazer, já falei com o Andrei Rei da Bolivia, já tem até tema 🙂

    • Pedro Cassimiro

      Percebe Renato a sagacidade do cavalo.

  • Leonardo Alves

    Vim deixar um comentário sobre o programa e já tem uns 7 do Bahamut só porque o Renato disse que ele comentou demais. Percebe Renato a petulância do cavalo hahahaha

    • Renato Degaspare

      Essa petulância até o Ivair percebeu

    • Não era pra quebrar record? Os caras pedem comentário e reclamam de comentário no mesmo episódio hahahaha vai entender XD

  • Leonardo Alves

    Meme é um termo criado em 1976 por Richard Dawkins no seu bestseller O Gene Egoísta e é para a memória o análogo do gene na genética, a sua unidade mínima. É considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros). No que diz respeito à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se. Tá escrito na Wikipédia então deve ser verdade.

    • “Autopropagar-se” hahaha como se o meme ganhasse vida e postasse sozinho na sua timeline. Essa Wikipédia…

      • Leonardo Alves

        Uma vez lembro de ouvir uma explicação sobre meme no Metal Gear Solid 2, foi muito longa e complexa, mas o que eu me lembro que era uma ideia ou tema recorrente na história, como um símbolo que vai agregando novos significados com o passar do tempo.

        • Também. Acrescento aqui que é uma idéia concretizada em uma Forma. A Forma em si é independente do meio: pode ser texto, imagem, som, mera combinação de palavras, entonação, etc. Mas o improtante é que você pode facilmente aplicar aquela Forma pra qualquer contexto e passar um significado importante rapidamente. Também colocaria a importância de ter uma estrutura bem definida, mas flexível: você pode brincar com o meme do cavalo trocando Ivair por outro nome, Cavalo por outra figura ou Petulância por outra palavra, mas se fizer os 3 ao mesmo tempo, o meme perde um pouco do impacto. O meme é flexível, mas tem uma estrutura mínima a ser respeitada.

  • Oi pessoal! Passando aqui pra deixar um comentário rapidinho desse podcast que foi uma delícia de ouvir. Primeiramente, tem razão em falarem que virais são diferentes de memes. Um exemplo grande disso foi o viral de uma página de Curitiba que fazia uma campanha pro fim das vagas de deficientes. Segundamente (???), adoei por chamarem o criador de um dos melhores memes de 2016. XD Terceiramente (????), vale falar também que tem muito meme que ressuscita, como os eventos falsos do facebook, forninho da Giovana e a Carreta Furacão. E por último, teriam que falar dos memes gays que são muuuuito melhores que os memes de hétero. Apenas a realidade. HAHAHAHA

    Enfim, abraços pra todos e até mais!

    Nota: Na leitura de emails, falaram se era o Maycon ou eu que tinham algo a ver com as Testemunhas de Jeová. Então… as duas alternativas estão certas. O Maycon tem familiares TJ e eu já fui TJ.

    • Seriam os eventos-piada do facebook uma ressuscitaçãodas falacidas “comunidades engraçadas do orkut”?

  • Rafael Aires

    Perceba Ivair a interatividade do Nossocast

  • Emily

    Boa noite,acabei de terminar de ouvir o último cast e adorei,relembrei de muitos memes no qual nem me recordava mais e “aprendi” alguns que nunca nem tinha ouvido falar,bom só senti falta que vcs comentassem sobre alguns que fizeram muito sucesso ano passado como o Felipe Smith e a Fabíola e sua manicure.
    Ah esse é meu primeiro comentário depois de um ano ouvindo o nossocast,por favor não me julguem,antes tarde do que nunca não é mesmo?!

    • Seja bem vinda 🙂

    • Armando Galleni

      Porra esqueci Felipe Smith! Fiquei triste 🙁

    • Alan Zim

      Putz,nem lembrava do Felipe Smith.. Vou assistir de novo!

    • Arnon Rodrigo

      BUZIOS MINHA ARTE? KATRINA? COMO EU ESQUECI G ZUIS… HAHAHAHA 🙂

  • Lena Patty

    Sabe que… estou comentando apenas para ganhar beijo né??? Afinal, não preciso repetir toda vez que o cast foi maravilhoso (e foi, sim, estou repetindo rsrs) e que adoro vcs né? rsrsrs seus lindos!!! ♥

  • Carlos Tabarnac

    Percebe Ivair a quantidade de comentarios

  • Corredor Ortográfico

    Até promessa de atauqe do ISIS vira meme por aqui. Essa é uma das partes boas do país: dá pra fazer piada com tudo

  • Roberto

    Oi, não sei se já foi avisado em algum lugar, mas agora o podcast é mensal?